Author Archive

Revista ECOS & REFLEXOS

https://drive.google.com/file/d/1SoSbVOmA3u430lPOMdbq0ljM3fW733af/view?usp=sharing

admin

29 anos do ECA ( estatuto da criança e do adolescente)

VIVEMOS UMA SÉRIE DE ATAQUES AO ECA E RETROCESSOS EM RELAÇÃO A GARANTIA DE DIREITOS, DESTA FORMA MAIS DO QUE NUNCA  É NECESSÁRIO ESTARMOS UNIDOS NA LUTA CONTRA AS VIOLAÇÕES  E NARRATIVAS QUE COLOCAM EM RISCO O GOZO DOS DIREITOS E O DESENVOLVIMENTO ENQUANTO INDIVIDUO DE NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES.

admin

Projeto Ecos e Reflexos América Latina. Começamos!

O projeto é uma articulação entre Brasil, Colômbia e Nicarágua, e irá construir um observatório a nível regional para  acompanhar as violações dos direitos das crianças e adolescentes

Desde novembro de 2018 o CEDECA SAPOPEMBA esta empenhado no processo de construção e desenvolvimento do Projeto Ecos e Reflexos América Latina. O objetivo do projeto é construir um observatório das violações dos direitos das crianças e adolescentes em dois territórios da cidade de São Paulo: Sapopemba e São Mateus. Pra isso, 15 jovens dessas comunidades vão integrar o projeto como pesquisadores e vão à campo coletar os dados. Projeto realizado no bojo do Núcleo de Cultura do Cedeca Sapopemba, desenvolvido em parceria com a plataforma Terre des Hommes e desenvolvido em mais dois países da América Latina, na Côlombia pela Coalico, e Nicarágua pela Codene, ambas instituições que lutam pelos direitos das crianças e adolescentes em seus respectivos países.

 

Serão 3 anos de trabalho em que os jovens passarão por 3 ciclos formativos. O objetivo dessas formações é para que construam ferramentas para ir ao campo, e assim, levantar dados e informações sobre as violações contra os direitos das crianças e adolescentes que ocorrem nos territórios de Sapopemba e São Mateus.

Uma das características que marcam esse processo de trabalho é a radicalidade da participação dos jovens. Todas as decisões são tomadas pelos jovens, como por exemplo, a decisão de como usar as verbas de alimentação, transporte etc. O estímulo à autonomia do grupo proporcionará que os resultados que surgirão da construção desse observatório, sejam de processo, sejam de produto final, tenha a identidade desses jovens, possibilitando autoestima e autonomia para suas vidas.

O primeiro ciclo formativo “Identidade do Grupo” já começou com a formação sobre “Integração e Cuidado” com o f convidado Danilo Ramos, que trouxe a importância da escuta para a constituição do grupo. Nossa segunda formação foi com a educadora convidada Thais Oliveira Silva que dentro da proposta de “Identidades” realizou uma série de dinâmicas com foco no cuidado coletivo e individual dos jovens.

As atividades formativas seguem até meados de agosto, até lá, outras atividades paralelas estarão sendo criadas pelos jovens, como a construção do marco de 30 anos da Convenção Latinoamericana pelos direitos das crianças e adolescentes, e a elaboração da metodologia do primeiro encontro dos jovens dos três países.

admin

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

admin

Cedeca comemora 25 anos de muitas lutas e conquistas

Sua presença e de sua família é muito importante! Divulgue & compareça ao evento comemorativo dos 25 anos do CEDECA “Mõnica Paião Trevisan”. Dia 25/11/2016, às 19h, no CEU Sapopemba Dora Mancini

#CedecaSapopemba
#CedecaMPT25nos
#ContraoGenocídiodaJuventudeNegra

aniversario_cedeca

Fonte: Facebook

admin

MÊS CEDECAfro 2016

O MÊS CEDECAfro foi uma ação criada pelos trabalhadores do CEDECA Sapopemba no ano de 2009, com o objetivo de fomentar discussões acerca dos efeitos do racismo em sociedade e a atuação do centro de defesa de direitos humanos de crianças e adolescentes frente as estas conseqüências. Este ano estamos fortalecendo a campanha: #contraogenocidiodajuventudenegra.

Sábado – (12/11/2016) às 16 horas
SARAU DA NOVA
#contraogenocidiodajuventudenegra
Sarau da Nova é uma articulação de adolescentes e educadores da região de Sapopemba, que organizam este espaço de leitura de poesias, apresentações teatrais e exposições de artes plásticas. O tema do Sarau deste mês e acerca do tema: Genocídio da Juventude Negra. Este mês contaremos com a participação de convidados: Grupo Opni (Grafite). Espaço Cultural e Brincante RUA NOVA – Local: Rua dos Corregos, s/nº Parque Santa Madalena – São Paulo/SP

Ciclo de Formações CEDECAfro
CEDECA Sapopemba 25 anos – #contraogenocidiodajuventudenegra

Segunda – feira (21/11/2016) às 09h
Efeitos Psicossociais do Racismo
Palestrante: Ivani Francisco de Oliveira – Psicóloga, secretária da regional São Paulo ABRAPSO (Associação Brasileira de Psicologia Social);

Terça-feira (22/11/2016) às 14h
Gênero e Racismo
Palestrante: Rosane Borges – Jornalista, pós-doutoranda em ciências da comunicação pela ECA-USP.

Quarta – feira (23/11/2016) às 14h
Arte, Cultura e Racismo
Palestrante: Felipe Oliveira Campos, o “Choco” – Cientista Social, Coordenador do Ponto de Cultura “EURECA Sapopemba” – Educador Social do CEDECA Sapopemba

Quarta – feira (24/11/2016) às 14h
Educação e Racismo
Palestrante: Washington Góes – Mestre em Educação pela PUC – São Paulo. Graduado em LETRAS pela PUC São Paulo (2009). Foi coordenador de projetos de educação do Instituto Paulo Freire.

Local: CEDECA Sapopemba (sede)
Rua: Vicente Franco, 45 Parque Santa Madalena – São Paulo/SP

cedecafro

Fonte: Facebook

admin

CEDECA Sapopemba realiza roda de conversa sobre Plano Individual de Atendimento

CEDECA SAPOPEMBA convida:

Projeto: Roda de Conversa na Medida Certa
Tema: Plano Individual de Atendimento (PIA)
Objetivo: Discutir acerca dos desafios da construção e efetivação dos PIA’s (Plano Individual de Atendimento), conforme as legislações vigentes.

Data: 04/11
Horário: 9h00 às 11h30
Inicio: 8h30 com café da manhã comunitário
Local: Sede do Cedeca Sapopemba
Rua Vicente Franco Tolentino, 45 – Pq. Santa Madalena, São Paulo/SP.

Convidado:
Flávio Frasseto, defensor público na Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Tem experiência no campo do Direito da Criança e do Adolescente, especialmente nas áreas de medida socioeducativa, medidas de proteção e tutela de direitos individuais e coletivos. Atua principalmente com os seguintes temas: : medida sócio-educativa, ato infracional, adolescente em conflito com a lei, acolhimento institucional, sistema de garantia de direitos, avaliação psicológica aplicada à Justiça da Infância e Juventude, saúde mental, regime jurídico das internações psiquiátricas.

Realização: Projeto Fortalecimento das Medidas Socieducativas em Meio Aberto de Sapopemba.

cedeca_rodadeconversa

Fonte: Facebook

admin

CEDECA Sapopemba na luta contra o Genocídio da Juventude Negra!

Motivos não nos faltam!

A partir do seu Plano de Trabalho Político-Pedagógico bienal, o CEDECA “Monica Paião Trevisan” decidiu por priorizar seus esforços no enfrentamento do genocídio da juventude negra com foco na região de Sapopemba. Como entidade defensora dos direitos humanos da criança e do adolescente, entendemos que tal fenômeno alcança todos os adolescentes e jovens que vivem em situação de pobreza, mas impacta também toda a comunidade na medida que subtrai das mulheres que são mães, irmãs e companheiras dos adolescentes e jovens assassinados, o poder de iniciativa e de protagonismo que são elementos fundamentais em qualquer processo de transformação social.
#CedecaSapopemba #Cedeca25nos
#ContraoGenocídiodaJuventudeNegra

Acesse a PESQUISA “Juventude e violência no município de São Paulo” (UFScar): LINK https://goo.gl/Bi7hTb

Pesquisa revela que 43% das pessoas mortas pela polícia são jovens, maioria negros: https://goo.gl/CfdgkE

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) divulgou no início do ano a pesquisa inédita “Juventude e violência no município de São Paulo”, sobre mortes causadas por ação policial na cidade. Em 2014, 43% do total de homicídios cometidos pela polícia eram de jovens entre 15 e 19 anos.
Metade das mortes cometidas por policias se concentrou em 14 distritos da cidade, com maior incidência no Jardim São Luis, Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista e SAPOPEMBA.

Suspeito padrão, vítima padrão: jovens são principais atingidos por violência policial em SP: https://goo.gl/9E81Up

Em 2014, dos 96 distritos da Capital, 71 tiveram mortes registradas por ação policial. No entanto, 14 desses distritos concentram 50% dos 341 assassinatos . São regiões periféricas como SAPOPEMBA (zona leste) e Jardim São Luís (zona sul).

“No imaginário policial existe um perfil do suspeito padrão que tem cor, território, idade e classe social definida. E o policiamento acaba sendo ostensivo e focalizado nesse grupo, causando mais conflitos e mais mortes. Isso falando do resultado mais extremo, o homicídio, ou seja, não contamos os feridos, os encarcerados, os abordados constantemente”, analisa Giane Silvestre, do Grupo de Estudos sobre Violência e Administração de Conflitos (Gevac), da Universidade Federal de São Carlos (UFScar).

Mapa dos homicídios policiais em São Paulo:
https://goo.gl/Bzoeux

Boletins de ocorrências divulgados pelo Portal da Transparência da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo apontam que 73% dos mortos em decorrência de suposta oposição à intervenção policial no município de São Paulo, entre 1º de junho de 2015 e 31 de maio de 2016, são pardos ou pretos. Nos 326 boletins registrados, ainda constam a idade de 247 pessoas mortas. Conforme os BOs, 45% das vítimas na capital paulista têm entre 18 e 24 anos. Dos 338 mortos, 336 eram homens.

Ainda de acordo com os dados, tais ocorrem, em sua imensa maioria, nas periferias da cidade. Os seis bairros que atingiram ou ultrapassaram o número de 10 óbitos do tipo nesse período de um ano são todos periféricos. Itaim Paulista está em primeiro, com 15 mortes; em segundo, Itaquera, com 14; seguido por Cachoeirinha, com 13; e Brasilândia, Jardim Angela e SAPOPEMBA, com 10 mortes em cada bairro.

Fonte: Facebook

admin