Missão e valores

Missão

O CEDECA – Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente “Monica Paião Trevisan’’ – tem a missão de atuar na defesa jurídico-social e articular setores sociais para que os direitos humanos de crianças e adolescentes, especialmente da região de Sapopemba, sejam respeitados e efetivados pelas famílias, sociedade e Estado. O eixo norteador de toda atuação da entidade se baseia nos princípios do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), articulando-se da seguinte forma:

  • Defesa: Atendimento, acolhimento, acompanhamento processual, orientação sociojurídico e denúncia de situações de violações de direitos da criança e do adolescente e seus familiares.
  • Promoção: Atuação social, mobilização da comunidade e incidência junto as políticas públicas, visando a garantia e efetivação de direitos da criança e do adolescente, bem como propostas de monitoramento e controle da atividade pública.
  • Articulação: Participação junto as redes atuantes na área da infância e juventude, propondo e refletindo sobre o trabalho socioeducativo, luta contra o genocídio negro, defesa de direitos e incidência no Sistema de Justiça e demais espaços públicos.
  • Formação: Encontros voltados a comunidade visando reflexão sobre temas sociais, políticos e de importância para o território. Oficinas temáticas, grupos de família e de adolescentes, ciclos de formação e “Escola de Cidadania” em parceria com instituições de Sapopemba.

Valores

As ações realizadas tem como base o pensar, o sentir, o tocar e o fazer de maneira crítica, criativa e prazerosa. Elas refletem a perspectiva da educação e formação integral do ser humano:

Aprender a ser – desenvolver a personalidade, e as capacidades de autonomia, discernimento e responsabilidade pessoal, potencializando as capacidades individuais, cognitivas, físicas, afetivas e sociais.

Aprender a conviver – desenvolver a compreensão e a percepção das interdependências, a partir de projetos comuns e da capacidade de gestão de conflitos, respeitando os valores do pluralismo, da compreensão mútua e da paz.

Aprender a fazer – adquirir além da qualificação profissional, competência que tornem as pessoas aptas para o trabalho em equipe e o enfrentamento das mais variadas situações.

Aprender a conhecer – adquirir a capacidade de ouvir e observar para beneficiar-se das oportunidades educativas ao longo de toda a vida.